2018,

18 maio 2018

Quando vou te ver de novo?

Fotografia encontrada no Tumblr


Texto escrito dia 29/01/2018 - às 03:41 (terminado no dia 18/05/18)  (Leia ouvindo Lenny Kravitz - Again)
A cada hora, martela na minha cabeça a seguinte questão: "quando eu vou te ver de novo?". Caso queira saber, eu ainda penso em você... e muito. Toda música que eu escuto, todo filme que eu assisto, cada história que eu leio... Penso em você. É saudades, eu sei. Saudades de te ver toda semana, saudades de falar com você... Você com toda a certeza é diferente de todos os caras pelos quais já me apaixonei. 

Fico me perguntando o que foi que aconteceu para me apaixonar? Me lembro da primeira vez que te notei de um modo diferente, e quando percebi que estava desenvolvendo um sentimento por você, pensei comigo mesma: ixi! No começo eu relutei, não aceitava gostar de alguém, ainda mais depois de ter sofrido tanto — apesar de já estar recuperada... mas, precisava de mais tempo. O que me assustou/surpreendeu é o fato de você ser gentil.

Fico muito impressionada com duas coisas: a quantidade de gostos que temos em comum e como eu me sentia extremamente bem conversando com você —  pessoalmente ou na internet. Pois é,  mas infelizmente, nem tudo é como a gente quer. Às vezes criamos expectativas demasiadas, pois o desejo de que tudo dê certo é maior do que a realidade, fazendo com que fantasiamos demais, enxergando coisas aonde não tem — ou talvez até tenha.

Te observava de longe e ficava feliz por ver você sorrir, contanto suas piadas para quem estava em sua volta... Ou ficava preocupada quando o via mais sério. Sempre sendo um fofo com todos. Estou viciada naquela banda "desconhecida" que você me recomendou. O pouco que eu conheci de você foi o suficiente para me apaixonar cada vez mais e mais... Imagina te conhecer por inteiro?

Escrever sobre você é delicado... Pelo simples motivo de você ser especial, ser diferente...

Você é único...Vejo luz te rodeando. Sua simpatia é tão cativante, você em si é de se admirar. Eu respeito você. Aquela conversa mais séria que tivemos me fez perceber o quanto somos maduros. Você disse que poderíamos continuar conversando — sabendo que eu gostava de falar com você. Mas, quando fui tentar conversar novamente, você deixou claro a falta de interesse em falar comigo. Era agoniante o fato de só eu iniciar as nossas conversas... Mesmo assim, você foi diferente dos outros. 

Mas, o que adianta você ter sido tão diferente, para no final, agir como um babaca? Meu coração se afogou com a tamanha decepção, mas eu sabia que receber um não, não seria o fim do mundo. Eu sou forte e madura para entender, que não podemos cobrar aquilo que não é espontâneo de ninguém. Fiz de tudo, do meu jeito tímido, sem jeito, mas pelo menos eu tentei.

Ele é diferente. Não vou mentir, eu quero te ver de novo, eu quero falar com você novamente. Mas, estou seguindo em frente. Quem sabe um dia? Como diz Tatiane Argenta: "Talvez a gente se esbarre e se conheça de novo, com o olhar mais maduro e o coração mais decidido".

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Obs: Todos os textos escritos neste blog são de minha autoria, Flávia Pereira. Plágio é crime, está proibida a cópia de qualquer obra feita por mim sem os devidos créditos, de acordo com a Lei nº 9.610. segundo os Direitos Autorais.

2 comentários:

  1. cara gostei muito do seu texto, me pegou em cheio :/!!! Vim do Liga blogesfera!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Thamyres!
      Volte sempre, beijinhos ♥

      Excluir

Obrigada por ler o blog e deixar seu comentário. Seja bem vinda (o) e volte sempre hiihi ♥